06/06/2019 Undime

Todas as notícias Categorias

Inep apresenta proposta de catálogo e mapa de escolas da educação básica no Brasil


O presidente da Undime e Dirigente Municipal de Educação de Alto Santo (CE), Alessio Costa Lima, esteve na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em Brasília, nesta quarta-feira (5), para participar da reunião que tratou da agenda de apresentação e discussão de dois novos produtos: o catálogo e o mapa de escolas da educação básica no Brasil.

O projeto vem sendo desenvolvido pela Diretoria de Estatísticas Educacionais do Inep (Deed) e foi apresentado pelo diretor Carlos Eduardo Moreno e o coordenador-geral de Controle de Qualidade e de Tratamento da Informação, Fábio Bravin. A proposta é que os dados sejam divulgados de maneira aberta, como forma de dar transparência ativa ao acesso às informações. Isso porque, de acordo com o Inep, a autarquia recebe com frequência solicitações sobre a divulgação de dados de contato das escolas.

O catálogo consiste na relação das escolas brasileiras participantes da última edição do Censo Escolar da Educação Básica, realizado pelo Inep. As informações contidas nele são oriundas da pesquisa, portanto o produto não é um cadastro administrativo das escolas.

As informações serão atualizadas anualmente e divulgadas em formato eletrônico disponível no portal do Inep, onde será possível consultar a ficha de uma ou várias instituições de ensino por meio de filtros (estado, município...), inclusive exportar o resultado. Os interessados poderão buscar e ter acesso a vários campos como: o código da escola, nome da escola, endereço, localização (urbana/ rural), oferta de escolarização, regulamentação e outras informações que serão analisadas posteriormente.

Com esse produto, a autarquia pretende colaborar com o trabalho de gestores de organizações públicas e privadas; imprensa; pesquisadores; estudantes; e sociedade.

O mapa, por sua vez, apresenta as informações geoespaciais das escolas com base no dados coletados pelo Censo Escolar. Hoje, por meio do aplicativo Censo Localiza, criado para melhorar a qualidade dos dados de localização das escolas, os informantes da pesquisa registram e enviam automaticamente os dados de localização geográfica da escola ao Inep.

Uma das ideias centrais, a partir da incorporação da coleta de informações geoespaciais das escolas no Censo Escolar, é possibilitar análises estatísticas geoespacializadas, aumentando o potencial de uso e integração das estatísticas educacionais a outras informações públicas, auxiliando a sociedade e os gestores públicos a acompanhar as características de oferta e atendimento educacional no território.

Para o mapa, o Inep utilizará como mapa base o OpenStreetMap, que é um projeto aberto de mapeamento colaborativo para criar um mapa livre e editável. Pelos registros, 70,6% das escolas da rede municipal já estão mapeadas hoje.

A ideia é que os dois produtos sejam lançados ainda este ano, em julho.

Com o catálogo e o mapa, o Inep espera complementar a divulgação das estatísticas educacionais a partir da divulgação das escolas recenseadas pela última edição da pesquisa, ampliando a transparência sobre a pesquisa, ao tempo que também pretende consolidar uma referência importante de informações de interesse público à sociedade brasileira: a identificação, a localização e a oferta educacional das escolas de educação básica.

Ao apresentar os dois produtos, Moreno e Bravin explicaram sobre os objetivos, a metodologia de elaboração, manutenção e atualização deles. O objetivo foi discutir e definir com os representantes das redes de ensino e dos conselhos de educação as informações que comporão o catálogo e o mapa. Nesse sentido, a Undime se comprometeu a analisar o material e enviar contribuições ainda este mês.

Reunião com o presidente do Inep

O presidente da Undime, Alessio Costa Lima, aproveitou a ida ao Inep para se reunir com o presidente da autarquia, Alexandre Ribeiro Pereira Lopes. Durante o encontro, que contou com a participação de Camilo Mussi, diretor de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais e diretor interino de Avaliação da Educação Básica; e Carlos Eduardo Moreno, diretor de Estatísticas Educacionais, Alessio falou sobre o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Em 2019, o Saeb aplicará pela primeira vez testes de Ciências da Natureza para uma amostra de estudantes do 9º ano. A avaliação inédita vai gerar os primeiros resultados de desempenho nessa área do conhecimento, e já de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Alessio elogiou a iniciativa, porém reiterou a necessidade da que a avalição da alfabetização que será realizada no 2º ano ensino fundamental seja censitária e não amostral para as próximos edições do Saeb.

A avaliação da alfabetização realizada por amostra por estado da federação não faz muito sentido para os Dirigentes Municipais de Educação, uma vez que a oferta desta matrícula se encontra com as redes municipais. Já que será realizada por processo de amostragem estatística, o ideal seria que essa amostra fosse pelo menos por rede municipal. Alessio destaca que a avaliação censitária, diferentemente da amostral, gera outras possibilidades de uso, inclusive com diagnósticos pontuais por unidade escolar, favorecendo políticas de intervenções pedagógicas localizadas.

Fonte/Fotos: Undime

Todas as notícias Todas as categorias